CUIDADOS COM O CÃO

 
Devemos ter cuidados especiais com o cão, principalmente na infância e na velhice, períodos em que o animal requer mais cuidados.

A cinomose, leptospirose, hepatite contagiosa, parvovirose e a coronavirose, bem comuns nessa época da vida de todos os cães, podem ser evitadas e combatidas por meio de vacinas administradas por um veterinário.

 

CINOMOSE

LEPTOSPIROSE

É uma virose semelhante à gripe humana. O vírus é absorvido através das vias respiratórias ou digestivas, ficando alguns dias em incubação para depois se espalhar pelo organismo. Os principais sintomas são o tremor, o cansaço, tosse, temperatura muito elevada e olhos avermelhados. É uma infecção que é transmitida pela urina dos ratos, a chamada leptospirose ictero-hemorrágica, ou também por água de pântanos. Os primeiros sintomas manifestam-se pelo abatimento geral, sede intensa, vômito e febre alta.
 

HEPATITE

Só ataca cães e raposas. O vírus da hepatite é facilmente encontrado na saliva, urina, fezes e lágrimas do animal. Por isso mesmo, é fácil de ser transmitido de um para o outro e  se aloja principalmente no fígado. Apresenta como principais sintomas a diarréia amarelada, convulsões e febre. 

   

 VERMES

TEMPERATURA E VACINAS

São parasitas internos que apresentam como principais sintomas enterites, oclusões intestinais, sufocamento dos filhotes, inflamações, intoxicações, vômito, diarréia, inapetência e prurido geral. Para que seu cão não seja contaminado, deve evitar o contato dele com fezes de outros animais, como também água poluída e os alimentos estragados. Todos os tratamentos para esses casos são feitos a base de vermifugo.
O filhote saudável apresenta temperatura média de 39º, enquanto o idoso fica na casa dos 38º.

As vacinas são imprescindíveis na vida do cão. O calendário de vacinação é curto e fácil de ser seguido:

- Entre 45 e 60 dias de idade, o filhote deve receber a dose de V8, que contém os seguintes imunizantes: dois tipos de leptospirose, cinomose, parainfluenza, parvovirose, hepatite, coronavirose e adenovírus tipo 2.
- Após 30 dias, é preciso tomar a segunda dose. A terceira dose, 30 dias após a segunda, também deve ser feita junto com a vacina anti-rábica, que deve ser usada a cada ano.
 

OUTROS CUIDADOS